A maioria dos indivíduos que joga em excesso apresenta sentimentos mistos em relação ao jogo: eles sabem que estão a causar problemas às pessoas que amam; podem ficar ansiosos e infelizes e, muitas vezes, até detestar-se a si próprios. Mas o impulso de jogar é demasiado forte para conseguirem resistir. Sentem que não conseguem renunciar ao tempo, dinheiro e emoção que investiram no jogo e não aceitam a ideia de que nunca recuperarão o que perderam.
 
Há indivíduos que prometem abandonar o jogo, mas não o conseguem e receiam que os familiares acabem por descobrir. Esta situação leva a que se escondam e se afundem ainda mais em dívidas. Continuam a manter a esperança de que uma grande vitória acabará com os seus problemas. De vez em quando, podem ganhar, o que manterá viva a sua esperança – até as perdas se acumularem novamente.
 

DE QUE MODO AS PESSOAS JOGADORAS SÃO AFETADAS?

RISCOS E RECOMPENSAS DO JOGO   POSSÍVEIS CONSEQUÊNCIAS DOS JOGOS DE FORTUNA OU AZAR   SINTOMAS DE ANSIEDADE E DEPRESSÃO   RISCO DE SUICÍDIO   O QUE É O ACONSELHAMENTO?  ENFRENTAR OS IMPULSOS DO JOGO ENFRENTAR OS PROBLEMAS. EVITAR RECAÍDAS   APAZIGUAR AS RELAÇÕES FAMILIARES   TER CONTROLO DO JOGO. PÔR AS FINANÇAS EM ORDEM

×Informação disponível nos sítios: Problem Gambling Institute of Ontario e Centre for Addiction and Mental Health

Para o ajudar a tomar uma decisão sobre a possibilidade de reduzir os seus comportamentos de jogo, pode querer fazer uma avaliação mais detalhada junto de um especialista. Nesse caso, poderemos prestar-lhe informação sobre os recursos existentes em Portugal.